Como encontrar o freelancer certo para trabalhar?

Durante os vários artigos aqui no blog, tenho dado bastante dicas a freelancers. Contudo, nunca dediquei um artigo a quem queira contratar estes profissionais. Ou seja, quais são os cuidados que um interessado no trabalho do freela deve ter? Deve se preocupar apenas com o preço ou ter mais atenção ao portfolio? Todas estas dúvidas passam pela cabeça de qualquer pessoa que queira contratar os serviços de um jornalista, programador ou fotógrafo que trabalhe por conta própria. Por isso, hoje vou dar algumas dicas para que tenha uma escolha mais acertada.

dinheiro

O PREÇO

De uma maneira geral, o primeiro ponto que os interessados no serviço de freelancer analisam é o preço. Compreende-se que o orçamento para contratar um freela muitas vezes seja curto, levando o empresário a ter um principal cuidado com o dinheiro que vai gastar naquele trabalho. Contudo, o meu conselho vai para que não se deixe levar por este impulso. É muito fácil cair na tentação de conseguir pagar pouco e ter o trabalho feito, mas isso poderá lhe trazer vários problemas a longo prazo.

Quando se inicia um negócio, de um modo geral, os objetivos são ser melhor que os seus concorrentes e acrescentar valor ao mercado. E isso apenas é conseguido quando o trabalho tem uma qualidade acima da média. Se você quer contratar um freela para desenhar um logotipo no Prolancer e pagar pouco por isso, o mais provável é que os melhores designers nem sequer concorram à sua oferta.

O resultado será um logotipo de pior qualidade, fazendo com que os seus clientes ou leitores não fiquem impressionados com o design. Você pode não ter noção disso, mas marcas como a Apple ou o Google, pensam nos seus logótipos de um modo pormenorizado, tendo bastante cuidado com a cor, com o formato ou o simbolismo da própria imagem. E essa exigência não é de agora, mas sim desde os seus primeiros dias. Mas quem fala no logótipo fala também no design de um site, na aparência de uma fotografia ou na qualidade de uma reportagem. Quem quer atingir o sucesso, precisa de ser exigente desde o início. Mas para conseguir isso é sempre necessário pagar bem a quem o faz.

PROCURE INDICAÇÕES PRÓXIMAS

Um dos grandes problemas para quem quer contratar um freelancer, é o fato de não saber que género de profissional ele é. Se entrega os trabalhos a tempo, se trata bem o cliente ou se tem bons conhecimentos naquela área. O modo mais “seguro” de o fazer, é procurar por fontes próximas à sua rede de contatos. Pergunte a um colega de trabalho ou tente obter feedbacks de outros clientes que já trabalharam com ele. Esta é a forma mais confiável que tem para tentar perceber as características do freela que quer contratar.

PESQUISE

Quando temos uma dúvida sobre alguma coisa o que geralmente fazemos? Vamos ao Google. Esse mesmo trabalho pode ser feito por si para pesquisar informação sobre o freelancer. Coloque o nome dele nos motores de busca e verifique se existe mais alguma informação.

Esta é também outra forma de encontrar o seu website pessoal. Quando chegar à página do freelancer, tenha atenção a estes pontos:

  • Se tem um design de qualidade
  • Há quanto tempo não é atualizado
  • A forma como o português e as imagens são tratadas
  • Se critica outros clientes
  • Quais os trabalhos ou projetos que ele realizou

A isto chama-se fazer o seu “trabalho de casa”, para que não seja surpreendido quando contratar os serviços do freelancer.

FAÇA UMA LISTA

Todo o dinheiro do seu trabalho deve ser gerido com o maior cuidado. Por isso, aconselho que não contrate o primeiro freelancer que lhe aparecer. O mais sensato será fazer uma pequena lista, de no mínimo cinco nomes, e depois sim entrar em contato com cada um para pedir informações. Quando falar com eles, tenha cuidado para ter o que quer bem definido. Vejamos algumas coisas:

  • Quando quer que o seu projeto deve ser finalizado
  • Quais são todos os pontos que pretende que sejam desenvolvidos pelo freelancer
  • De que forma vão se comunicar
  • De que forma vão ser realizados os pagamentos
  • Quantas revisões ao projeto vão ser necessárias
  • Se vai poder fazer algumas alterações quando começar a experimentar o trabalho (no caso de ser um website, por exemplo)

Quanto maior for a quantidade de informação que der, menos dúvidas terá o freela e menos confusões o projeto pode gerar, diminuindo a possibilidade de se tornar num cliente insatisfeito.

MANTENHA O CONTATO

É importante que mantenha o contato com o freelancer, para que possa ir acompanhando o desenvolvimento do projeto. Mas tenha cuidado para não ser demasiado “chato”. Apenas de vez em quando, pergunte como vai o desenvolvimento. Não cometa o erro de dizer tudo o que precisa e depois esperar pelo prazo final da entrega. Isto porque é muito mais fácil irem fazendo pequenas adaptações enquanto o trabalho está em desenvolvimento do que no final.

Todo o cuidado que possa ter ao contratar um freelancer será sempre pouco, pois existe sempre a possibilidade de você ficar insatisfeito. No entanto, ao fazer todos estes passos, irá diminuir o risco de cometer erros e de ser enganado. Depois de conseguir encontrar um bom profissional, repita os trabalhos com ele. O melhor freelancer é mesmo aquele que você consegue realizar vários trabalhos e sabe o que esperar dele.

E vocês, já contrataram freelancers? Que cuidados tiveram?

Abraços

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


Estratégias para ser produtivo e criativo ao mesmo tempo

Um dos grandes problemas de quem trabalha como freelancer é conseguir realizar um maior número de tarefas em menos tempo. Essa conclusão mais rápida permite que tenha mais tempo para fazer um maior número de projectos e, desse modo, conseguir aumentar a sua rentabilidade ao fim do mês. A Técnica de Pomodoro ou a Lei de Pareto são apenas formas de ajudar a melhorar a sua produtividade. Com algum tempo, poderá adaptá-las ao seu dia-a-dia e conseguir resultados interessantes. Ao início, quando tenta melhorar a sua produtividade, tudo parece acontecer do modo como você planeou. Cumpriu tudo o que escreveu na agenda, conseguiu desligar-se de tudo o que o distrai e apontou tudo o que queria noEvernote.

Tudo parece acontecer na perfeição, mas a verdade é que com o passar do tempo um problema começa a surgir na sua rotina: a falta de criatividade. O fato de estar sempre a seguir o que é pré-definido, acaba por “eliminar” a sua capacidade imaginativa ou afetar a sua criatividade, tornando o seu trabalho em algo mecânico. Por mais que pretenda fugir do habitual, o fato de estar sempre seguindo uma agenda pode prejudicar claramente a sua inspiração.

SERÁ POSSÍVEL TRABALHAR SEM INSPIRAÇÃO?

Obviamente que não. Todos precisamos de nos destacar de alguma forma nos nossos trabalhos e essa diferenciação deverá acontecer sempre através de pormenores. Se eu vendo produtos porta-a-porta, por exemplo, não posso tratar todas as pessoas de igual forma. Preciso de me adaptar, conforme a pessoa que estiver à minha frente, tendo em conta a idade, o sexo ou a classe social. E aí, entra em acção toda a minha capacidade de adaptação àquela situação. Portanto, a criatividadeé algo que nunca nos poderá faltar. E isso leva-nos a uma questão bastante interessante: se ser mais produtivo leva-me a perder alguma inspiração, terei assim tantas vantagens em fazer mais tarefas em menos tempo? Ou seja, posso até fazer mais trabalhos, mas se estes têm menos qualidade, não terei grandes vantagens nisso.

O ideal, será mesmo conseguir equilibrar os fatores produtivos com os de inspiração, de modo a conseguir tirar o melhor partido destas duas vertentes. Como lhe expliquei anteriormente, não poderemos trabalhar sem criatividade, mas também é verdade que não podemos estar constantemente esperando por inspiração, pois como freelancer é importante manter os ganhos e o prazo de entrega com os clientes. Por isso, o importante será mesmo procurar técnicas que o ajudem a “forçar” essa inspiração à aparecer, de modo a ser produtivo e criativo ao mesmo tempo.

criatividade

TÉCNICAS PARA SE MANTER CRIATIVO

O modo como se mantém criativo será sempre algo muito pessoal. As técnicas que utilizo servem para a minha rotina, mas podem não servir para a sua. As dicas que lhe vou deixar abaixo, algumas são utilizadas por mim, enquanto outras são usadas pelas pessoas de um modo geral, naquilo que se pode chamar de “senso comum”.

LEIA SITES E REVISTAS DE OUTRAS ÁREAS

Depois que passei a trabalhar apenas através da internet nas últimas semanas, acabei por perder algum contato com o mundo do jornalismo. Contudo, algumas ideias para artigos na Escola Freelancer surgiam de outros jornais, servindo como uma fonte de inspiração constante. Para compensar essa perda, decidi que todos os dias teria que dar uma olhada em revistas ou jornais, de modo a conseguir manter essa fonte de inspiração. E as revistas não precisam ser do mesmo ramo de negócios.

Imagine que estou lendo um blog sobre dietas que me fala sobre como ter uma alimentação saudável. Ora, eu posso pegar nesse texto e fazer um aqui para o blog explicando a importância da alimentação saudável na dia-a-dia de um freelancer, por exemplo. São este género de ideias, completamente inesperadas, que conseguimos ao verificar revistas de outras áreas, fugindo um pouco ao tradicional.

RELAXE

Em stress, dificilmente conseguimos ter ideias de valor. Se estamos com pressa para escrever um guest-post, dificilmente teremos uma ideia diferenciada, pois a pressão “diz” ao nosso cérebro para escrever, não dando grande importância à qualidade do nosso texto. Mesmo o próprio Steve Jobs, admitiu que o período que passou na Índia, isolado, foi de grande valia e permitiu-lhe ver o mundo com outros olhos.

Recentemente, passei a praticar yoga e os resultados até ao momento têm sido bastante satisfatórios. Aqueles pequenos momentos, em que o nosso cérebro deixa de estar sobre pressão e relaxa, podem gerar grandes momentos criativos. Mas quem diz yoga fala também numa pequena caminhada à beira-mar, a um passeio na montanha ou ouvir músicas para relaxar. Cada um deve adaptar os seus gostos pessoas às suas fontes de inspiração.

SEJA MENOS RÍGIDO

A rigidez pode ser algo bom para quando você é pouco disciplinado e quer melhorar a sua produtividade. Não permitir que certas preguiças e maus hábitos entrem no seu dia-a-dia é uma forma de ir de encontro aos seus objetivos. Mas quando esses hábitos já tiverem sido adquiridos, é importante que de vez em quando se permita ir ao encontro de alguma abertura em outras coisas. Se hoje não planeou o seu dia porque foi ao cinema com a sua namorada, não se preocupe. Com certeza que esse momento com a sua cara metade trouxe-lhe maiores benefícios nesse momento. É claro que não deve fazer isso sempre, mas de vez em quando não haverá qualquer problema.

ANOTE

Tenho insistido bastante neste ponto aqui no blog, chegando até a referência-lo no MestreCastcomo uma das formas de melhorar a produtividade. Considero o fato de apontar tudo o que vê como algo essencial. Este artigo que você está lendo, a ideia de o escrever foi gravada noEvernote depois de um conversa com um amigo. Já o artigo sobre estratégias para concluir os objetivos até final do ano também surgiu da mesma forma. São pequenos pormenores, mas que ao final deste ano com certeza já me geraram cerca de 25% das ideias para artigos e que me pouparam dezenas de horas.

SOZINHO OU ACOMPANHADO?

Não lhe vou dizer diretamente que você será mais criativo se trabalhar sozinho ou com outras pessoas. Eu prefiro escrever sozinho, mas para ter ideias de negócios já não o consigo fazer sozinho, tendo sempre necessidade de partilhar isso com outras pessoas. Tente encontrar o seu ponto de equilíbrio e saber como fica mais inspirado. Sozinho ou acompanhado? Com música ou sem música? Pela manhã ou à noite? Cada um tem a sua forma de trabalhar e o método em que é mais eficaz.

FUJA DA SUA ZONA DE CONFORTO

Antes de tentar fugir da sua zona de conforto, é importante que consiga perceber o que ela é. Zona de conforto é tudo aquilo a que nós normalmente estamos habituados. Imagine que você é uma pessoa tímida e que passa o dia inteiro na frente do computador. A zona de conforto será aí: sentado, com o laptop na frente e falando com os seus amigos através do Facebook. Ora, atividades como falar em público ou marcar um encontro com uma mulher certamente serão situações em que sente pouco à vontade.

Se ficar eternamente na sua zona de conforto, fará sempre as mesmas coisas e irá perder criatividade. Por isso, aconselho que faça outras coisas de modo a aumentar a sua inspiração. Tente analisar quais são os seus medos e enfrente-os. Mas para fazê-lo da maneira correta, aconselho que dê uma leitura no artigo da Escola Psicologia sobre as 6 razões para expandir a sua zona de conforto.

NÃO PULE AS REFEIÇÕES

Quando comecei a viver sozinho, comecei por dar-me ao luxo de almoçar ou jantar às horas que queria. Isto porque não tinha outras pessoas que dependessem de mim, sentindo-me completamente livre para comer à hora que bem quisesse. Isso parecia tudo maravilhoso, até que comecei a perceber que isso estava prejudicando a minha criatividade e capacidade de trabalho. Depois, fiquei sabendo que 20 a 30% da nossa ingestão calórica vai para o cérebro, o que explicava em grande parte essa minha perda de inspiração.

Mesmo que não consiga ter uma refeição à hora que pretende, tenha sempre à mão algum snack como bolachas ou balas. É claro que terá de compensar isso mais tarde com algum exercício físico. Mas considere isso um “dois em um”, pois o aumento da atividade física também ajuda no desenvolvimento da criatividade.

DURMA!

Quem ler livros sobre negócios, com certeza irá verificar que alguns dos grandes empresários aconselham a que durma cerca de seis horas por dia. Além de isso ser péssimo para a sua saúde, tem graves prejuízos para a sua produtividade. Você tem noção que o melhor tenista de todos os tempos, o suíço Roger Federer, dorme de 10 a 11 horas por dia? E não foi por dormir menos que alguma vez ficou para trás em toda a sua carreira. Bem pelo contrário, está a conseguir um desempenho a longo prazo impressionante, mantendo-se no topo do ranking com 30 anos.

Como freela, você não deve pensar apenas a curto prazo. É certo que se você dormir menos durante um ou dois anos, conseguirá trabalhar muito mais do que as outras pessoas. Mas o que irá acontecer à sua saúde? E à sua criatividade? Não podemos pensar apenas nos dias de hoje, tendo que ter sempre em mente que uma carreira é a longo prazo.

Ainda existem outras dicas, mas que são um pouco mais habituais, acabei por não as desenvolver. Mas ficam aqui algumas:

  • Saia de casa
  • Veja filmes
  • Leia livros. Tente fugir um pouco ao habitual de ler publicações sobre negócios. Leia algo relacionado com poesia ou um romance
  • Saia do computador durante algumas horas
  • Procure trabalhos antigos que possam ser adaptados a um tema atual
  • Escute os outros

CONSEGUE SER CRIATIVO E PRODUTIVO AO MESMO TEMPO?

A criatividade e a produtividade podem andar lado a lado, desde que você faça por isso. Não se concentre apenas em ser produtivo ou em ter inspiração. As duas são dependentes uma da outra, por isso tente integrá-las no seu fluxo de trabalho. Hoje, dei-lhe algumas técnicas, mas com certeza existem outras bem interessantes. Se tiver algumas, considere partilhá-las com os outros leitores e explicar porque as faz. Com certeza, outras pessoas irão agradecer a sua ajuda por torná-las mais criativas e produtivas ao mesmo tempo!

Abraço e bom trabalho

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


Trabalho em casa: separando home de office

Milhões de brasileiros trabalham em casa, online. Com as mudanças de estilo e hábitos, separar o trabalho da vida doméstica pode ser uma dificuldade. Veja algumas sugestões.

Só porque você trabalha para você mesmo, em seu confortável home office, não significa que tenha que ter um estilo informal, anti–profissional, de segunda categoria ou de pouco valor! Pior ainda: deixar que seu home office seja sinônimo de tempo disponível para tudo e para todos é uma afronta à sua competência.

Dito isto, o importante é saber que em seu home office você está no comando de sua pequena empresa, real ou virtual, e tem que pensar e cuidar de todos os detalhes. Por trás de tudo, é o seu nome que fica na frente, em evidência, e disso você não pode esquecer.

Então, que tal pensar um pouco em coisas que poderão dar um certo sentido profissional a seu trabalho em casa?

Home-office

Aqui vamos nós:

Invista em você mesmo. Trabalhar em casa significa cuidar de seus (próprios) negócios em tempo integral. Assim, não hesite em se aperfeiçoar estudando muito, lendo muito (livros, revistas de negócios, semanários e jornais todos os dias!), fazendo cursos ou especializações, indo a feiras e eventos e buscando informar–se sobre cada detalhe de sua área de atuação.

Pense em dinheiro sim. E com atenção, pois em um home office você provavelmente não terá garantias salariais por mês nem benefícios. Assim, faça as contas e descubra de quanto por mês você necessita para se manter – custos fixos e variáveis – e trabalhe para isso. Caso seja por RPA, defina com a empresa que pagará por seus serviços um valor que já inclua os gastos com esse recibo (11% de INSS + alíquota de IR).

Pesquise sobre o mercado. Vale tudo para saber mais sobre seus competidores: conversar com outras pessoas que trabalham por home office, ler revistas, navegar na internet e até mesmo participar de comunidades profissionais no Orkut. Visitas a livrarias de vez em quando são recomendáveis.

Fale com sua família. Converse com as pessoas que moram com você, sejam pais, irmãos, esposas, maridos etc. Mesmo que você more só, é bom também se comunicar. Conte sobre o seu trabalho em sua casa da forma mais profissional possível, como tem que ser. Afinal, a valorização começa mesmo por você.

Formate seu home office. Para isso, basta arrumar um canto em sua casa. Mas, se é para começar, seja simples e realista. Invista apenas no básico e necessário, seja em móveis ou equipamentos. À medida que as coisas forem melhorando e se desenvolvendo, seu home office poderá seguir o mesmo caminho, não o inverso!

Abra uma conta apenas para seus negócios. Caso não consiga separar as finanças pessoais das de seu trabalho, essa é uma boa opção. O importante é não cair no cheque–especial ou ficar no vermelho.

Faça cartões de visita. Para começar, uns 100 cartões bastam. Mas que seja algo bem feito, profissional, com o logotipo de seu site ou empresa. E se livre deles! Porque, afinal, nunca se sabe se um encontro informal qualquer poderá ser seu próximo grande negócio. Mais: os clientes gostam disso.

Tenha seus conselheiros. Ou seja, algumas pessoas de sua inteira confiança que possam dar uma ajuda informal em questões relativas à forma de atuar nos negócios, sua apresentação, formas de abordagem, tratamento aos clientes, dicas diversas etc. Uma visão externa sempre ajuda, mesmo que não seja (e muitas vezes é melhor mesmo que não seja) de especialistas no assunto.

Envie um release. Ou um simples e–mail, bem feito e bem escrito, falando de sua empresa, seus negócios ou seus serviços. Consiga e–mails de gente que trabalha em áreas relacionadas a sua e faça uma apresentação convincente. Seja seu melhor vendedor.

Escreva sua proposta. E defina quais são os objetivos e a atuação de seu trabalho. Você também poderá decidir qual é sua missão, a sua visão e quais são os seus valores. Se preferir algo mais detalhado, escreva um plano de negócios (os conhecidos business plans). Profissionalização é isso aí!

Tenha um website. De preferência, com seu próprio domínio. É a grande diferença entre uma apresentação mais atraente e profissional e uma simples página na internet. Ou seja, é sua casa virtual, e deve ser a melhor possível. Existem no mercado hoje provedores que cobram bem pouco – abaixo de R$ 10 por mês – para hospedar sites.

Networking. Sempre conte às pessoas onde está você e o que está fazendo. Apareça para ser sempre lembrado. Vale participar também de listas de discussão na internet, dentro de sua área de atuação. E se lembre sempre de assinar seus e–mails com: seu e–mail, home page e/ou telefone.

Promova você mesmo. Dedique alguns minutos por dia a divulgar seu trabalho. Se não der para pagar por anúncios, ao menos faça questão de ter seus dados em sites de organizações ou empresas que participam ou ajudam a regulamentar sua profissão. Muitas têm áreas destinadas a revelar quem são os profissionais no mercado, uma espécie de “quem é quem”.

Use sua marca. Para começar a conscientizar as pessoas/empresas de contato, ainda que de forma tácita, que você tem uma – mesmo que em home office. Então, faça isso, por exemplo, criando documentos com cabeçalho e rodapé que levem o logotipo, website e e–mail. Assim você contribui para dar mais charme e valor ao seu trabalho.

Evite interrupções sucessivas. Assim, você se concentra no que faz e obedece bem aos prazos e metas. Ou você acha que só porque está em home office não precisa delas? Faça por você mesmo e defina o momento certo para ler e responder e–mails e atender ou fazer ligações. O caminho para uma rotina estressada é atender a todos os telefonemas a cada instante (claro, você precisará de uma secretária eletrônica ou de um celular com voice mail) e ficar patrulhando a sua caixa de entrada no seu programa de correio eletrônico preferido. Pense nisso. E em seu trabalho também.

Diga não. Às pessoas que pensam que seu tempo em home office é pura diversão. Fazer tarefas domésticas, ser motorista de alguém ou servir de ouvidor para as mágoas alheias durante seu momento de trabalho não dá. Diga, com educação e gentileza que, quando você está trabalhando, você trabalha. E se perguntarem a você o que faz em casa, diga simplesmente que está trabalhando.

Tenha pensamento positivo. Não deixe emoções negativas – como culpa, ansiedade, medo e preocupação – invadirem sua mente, principalmente quando você está trabalhando. Pare, olhe para o lado e pense no que poderá aprender de determinada situação quando as coisas não vão tão bem como deveriam. Identifique seus erros e saiba como fazer diferente e melhor da próxima vez, gerando pensamentos proativos e positivos.

Celebre sempre! Faça de seu trabalho em home office sua verdadeira realização profissional, sua paixão, não uma saída para a falta de empregos ou para não fazer nada. Crie um verdadeiro lema de qualidade total para você mesmo, procure fazer sempre melhor, busque novos clientes e pense a cada dia em maneiras de crescer e se desenvolver profissionalmente, melhorando seus negócios.

Sobre o autor
Alexandre Bobeda (abobeda@gmail.com) é designer instrucional, especialista em e-learning

Fonte: Webinsider


Como gerir a sua carreira de Freelancer de A a Z

Quando um freelancer começa a carreira, dificilmente sabe o que fazer. Se encontra meio perdido, sem saber como lidar com clientes ou como encontrar trabalho. Isso é algo normal e que ao longo do tempo aprende a lidar. Tudo na vida leva tempo e apenas com a repetição de tarefas poderá chegar ao máximo das suas potencialidades. Quem quer ganhar dinheiro facilmente, ser freelancer ou ter startup não são as melhores opções. E para quem tem este sonho, lembre-se de uma coisa: tudo o que vem rápido, vai rápido.

Para que tenha uma real noção do que é começar neste género de trabalho e manter-se nele por muito tempo, hoje trago-lhe uma lista de A a Z de tudo o que necessita fazer para conseguir triunfar no mercado dos freelas. É claro que podemos considerar esta lista bastante redutora, visto que ninguém como trabalhador individual irá atingir o sucesso lendo apenas estas ajudas, mas dá-lhe uma excelente noção de algumas ferramentas que são necessárias.

Freelancer de A a Z

ATITUDE

Trabalhando por conta própria, o modo como lida com o dia-a-dia, quer seja na organização ou na exigência, podem fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso. Ficando em casa é muito fácil perder-se em horários ou ida a cafés com os amigos. Tenha atitude e defina bem os seus objetivos.

BARATO

O pior que pode fazer com o seu próprio negócio é querer vender de qualquer forma e para isso cobrar um preço demasiado baixo. A longo prazo, isso só o levará à falência. A forma correta é mesmo tentar se destacar pela qualidade em vez da quantidade de trabalhos.

CUMPRIDOR

O que leva um cliente a contratar um freelancer ou não, muitas vezes pode estar relacionado com o fato de ele cumprir os prazos de entrega. Organize-se para entregar os trabalhos antes do tempo até. Pode ser uma grande mais-valia perante a concorrência.

DINÂMICO

Um freelancer não pode ficar esperando que os clientes venham atrás dele. Necessita de ser dinâmico e ir de encontro àquilo que quer. Tem que ser ele mesmo a desenhar o seu futuro. Se necessitar de fazer algo mais além do seu trabalho, ele fará.

EMPREENDEDOR

Quando se pensa em ter algo nosso, é importante que façamos investimentos e que criemos coisas novas. Este espírito empreendedor precisa de estar no “sangue” do freela. Fazer publicidade ou alugar um escritório por exemplo, são pequenos investimentos que devem ser feitos constantemente. Ficar parado é morrer a longo prazo.

FERRAMENTAS

No mercado, existe uma vasta quantidade de ferramentas para freelancers, quer seja para faturação, organização ou produtividade. Se quiser saber um pouco mais, aconselho a leitura do nosso texto sobre as 17 ferramentas indispensáveis para freelancers.

GANANCIOSO

Além de cobrar um preço muito baixo pelos seus serviços, ser demasiado ganancioso pode ser outro grande problema para os freelancers. Aconselho que tente dar passos pequenos mas seguros, pois um passo em falso muitas vezes pode acabar com muitos meses de trabalho.

HUMILDE

O ego elevado pode ser um grande inimigo de quem começa a fazer muito sucesso ao início. Se as pessoas o começarem a criticar por estar sempre a falar de quanto ganha, talvez é porque esteja na hora de pensar um pouco no que tem dito ultimamente. Perder a humildade pode sair-lhe muito caro.

INTUIÇÃO

Apesar de a organização ser imprescindível, é importante que tenha uma pequena intuição do que o mercado realmente precisa. Tente sentir o que as pessoas estão necessitando. Por exemplo, como jornalista, tente descobrir os temas que os leitores mais gostam e aposta nesse tipo de artigos.

JÁ

Um dos grandes problemas na organização dos freelancers é a procrastinação. Ficar adiando as suas tarefas, torna o seu dia-a-dia num caos. Seja exigente consigo mesmo e diga para si que cada tarefa é para ser feita no momento, sem adiar.

LUTADOR

O sucesso no trabalho de freelancer não nascerá de um dia para o outro. Por isso é que trabalhar nesta área é só para alguns. Quem quiser se manter, terá que ser muito lutador, tal como foramJack Dorsey ou Miguel Gonçalves.

MULTITAREFAS

Pensa que vai trabalhar como freelancer e vai se dedicar apenas a um mercado? Isso é impossível. O freela precisa de ser multitarefas: organizar as finanças, produzir os seus serviços, lidar com clientes, organizar o seu dia, entre outras coisas.

NUTRIÇÃO

Trabalhando sempre em casa, é normal que se descuide um pouco da sua alimentação, comenda refeições rápidas e com pouco valor nutritivo. Isso a longo prazo irá afetar a sua saúde . Seja organizado e guardo um tempo para cozinhar e ter uma alimentação saudável.

OTIMISTA

É, para trabalhar como freelancer, você tem sempre de acreditar que o dia de amanhã será sempre melhor que o de hoje. Se ficar reclamando de algo ruim que tenha acontecido, estará a perderdinheiro. Uma atitude otimista todos os dias é fundamental.

PACIENTE

O sucesso não chegou em um ou dois meses? Tenha calma. A paciência é uma característica dos fortes e dê tempo ao tempo. Enquanto não está ocupado com inúmeros trabalhos, vá melhorando as suas capacidades.

QUERER

Antes de qualquer outra motivação ou motivo que o faça trabalhar como freelancer, um profissional precisa de realmente querer este estilo de vida. Não gosta de chefes, horários e salario sempre igual? Ótimo, então pode arriscar na sua carreira de freelancer. Mas se não quer tudo isto, o melhor é nem começar.

RACIONAL

A capacidade de raciocínio deve estar sempre à frente de qualquer vontade ou gesto compulsivo. Quando tiver alguma dificuldade, seja racional e tome a opção tendo como base o que quer para o futuro. Falar com o “coração”, lidando com um cliente por exemplo, pode ser uma péssima opção.

SEDENTÁRIO

É verdade, o trabalho de freelancer é bastante sedentário. Passar o dia inteiro na frente do computador e sentado numa cadeira não faz bem a ninguém. Por isso, tenha em atenção a sua saúde e pratique exercício físico regularmente. O modo como está sentado na sua cadeira ouorganiza o ambiente de trabalho também pode ser prejudicial.

TEIMOSO

Sim, esta característica pode ser benéfica para o negócio. Ser teimoso significa ficar tentando, tentando até que..dê certo. Mas quando tentar, tende ver onde pode melhorar, pois ser persistente em algo que não tem condições para dar certo não é uma boa ideia.

ÚTIL

Ter negócio com os seus cliente não é sinónimo de apenas cumprir o trabalho e receber o dinheiro. Você tem de ser útil para ele: ouvir os feedbacks, dar opinião e ir de encontro àquilo que ele quer. Faça sentir que você é útil para o cliente e ganhará mais trabalhos com facilidade.

VERDADEIRO

Jamais tente enganar o seu cliente apenas para ganhar vantagem. Se ele pediu um género de trabalho que você tem dificuldades em fazer, seja sincero com ele. Poderá perdê-lo nesta ocasiões, mas irá ganhar em outras. A mentira mais tarde ou mais cedo será descoberta e ter fama de mentiroso no mundo dos freelancers significa menos contatos.

XOOM

Se você precisa estar sempre fazendo transferências de dinheiro através da internet, existe uma outra opção além do paypal. Chama-se Xoom e conta com algumas vantagens bastante interessantes. Para quem quiser saber um pouco mais, pode visitar o texto da Escola Dinheirosobre o Xoom.

ZEN HABITS

Uma boa forma de organizar o seu dia é utilizando os Zen Habits. Prioriza bem as suas tarefas, mantêm-no focado naquilo que é necessário e ajuda-o a distrair daquilo que não interessa. Para quem se sente um pouco perdido, aconselho a leitura do nosso artigo sobre os dez pontos pontos dos Zen Habits que podem melhorar a sua produtividade.

Nesta pequena lista, tem um conjunto de tópicos e ideias que podem funcionar como guia para a sua carreira de freelancer. Todos eles são bastante úteis, mas com certeza existirão outros adjetivos ou softwares que os leitores utilizam e que eu não mencionei. Por isso, convido a partilharem outras ideias que achem úteis para os nossos leitores.

Abraço e bom fim-de-semana

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


10 dicas para escrever um texto criativo para o seu site

Ontem à noite, antes de escrever este artigo, estava com alguma falta de ideias para escolher o tema para hoje. Pesquisei por todos os meus arquivos que guardo no Evernote, dei uma volta pela meu Twitter e fui ler outros blogs, mas nada parecia surgir na minha cabeça. Isto também aconteceu porque a minha exigência sempre que escrevo um post é o de fazer com que os leitores se sintam interessados, gostem do que lêem e depois sintam vontade de compartilhar. “Escrever por escrever” é algo que está completamente fora de questão. Quando isso acontece, prefiro mesmo não postar nada e esperar por mais alguma inspiração.

Acredito que isso também aconteça no seu blog, especialmente quando ultrapassamos aquela barreira dos 100/150 artigos. Há pouco tempo, escrevi um texto onde lhe dei 10 conselhos para conseguir ideias para artigos. Todos eles são bastante interessantes e podem lhe dar ideias constantes sobre o que escrever. Mas aquele post peca por explicar apenas o modo como essas ideias podem surgir e não o género de ideias que pode ter. Para perceber mais facilmente, vou lhe dar um exemplo.

Enquanto jornalista, você tem vários géneros jornalísticos: reportagens, entrevista, notícia, entre outros. Ora, quando um editor num jornal pensa em planear uma edição, ele não pensa apenas que tem de escrever, mas sim a forma como vai transmitir essa informação. O mesmo tem de acontecer com o seu blog. Quando estiver para escrever um post, não se fique apenas pelo básico como ensinar ou explicar sobre como funciona um software. Tente algo mais, como os dez exemplos que lhe vou dar de seguida:

escrever com criatividade

1. ESCREVA SOBRE ACONTECIMENTOS ATUAIS

Também conhecidos como “hype”, os assuntos do momento têm uma vantagem dupla: despertam maior curiosidade aos leitores e se bem posicionados no Google, podem gerar milhares de visitas em poucos dias. Pesquise por assuntos que estejam nos jornais ou revistas e adapte-os ao seu blog. Recentemente o Paulo Faustino, escreveu um artigo sobre as 10 lições mais importante de Steve Jobs sobre empreendedorismo, com uma quantidade enorme de partilhas nas redes sociais.

A princípio, a morte do fundador da Apple pouco teria a ver com blogueiros ou como ganhar dinheiro na internet, mas o Paulo soube adaptar esta estratégia ao seu ramo de negócio. Se verificar, quer seja em sites nacionais ou estrangeiros, irá encontrar sempre temas que se adaptem ao seu site.

2. CONTE HISTÓRIAS INTERESSANTES

Uma das coisas que me ensinaram no jornalismo é que deveria sempre contar uma história, ou pelo menos tentar aproximar-me ao máximo disso. As pessoas adoram histórias. Não é ao acaso que programas como o Big Brother têm tanto sucesso. O fato de aqueles concorrentes estarem a contar uma história agarra as pessoas à televisão, fazendo com que queiram saber sempre o que vai acontecer no próximo episódio.

Quando escrever um bom texto para o seu blog, lembre-se de algo que lhe contaram e que você nunca mais esqueceu. É que além de serem mais interessantes, as histórias ficam facilmente gravadas na nossa memória. Outro bom exemplo são os acontecimentos que ocorreram quando você era pequeno. Certamente terá muitas histórias dessas na sua cabeça e que já as contas dezenas de vezes aos seus familiares e amigos. Porquê o faz? Porque as histórias têm emoção, falam de alguém e têm uma sequência lógica. Exemplos disso são estes post sobre Grant Achatz ou do Valdir.

3. FAÇA LISTAS DE CASOS DE SUCESSO OU INSUCESSO

Nós adoramos listas. Isso torna o nosso raciocínio mais fácil de ser lido, dá-nos vários exemplos e concentra muita informação para um único tema. Mas agora fica uma questão: essas listas devem ser de casos de sucesso ou insucesso? Se é verdade que a segunda opção garante sempre mais visitas, pois as pessoas adoram desgraças, isso irá sempre depender do seu blog, do nicho e do público-alvo. Na Escola Freelancer, terei sempre tendência para mostrar casos positivos e tudo o que eles fizeram de bom, com o intuito de ajudar os leitores a encontrarem o caminho para começarem o seu trabalho de freelancer.

Contudo e muito de vez em quando, também posso enumerar listas negativas, tendo sempre o cuidado de demonstrar os erros que os empresários cometeram e a forma como os leitores os podem evitar.

4. REALIZE ENTREVISTAS

O que nos leva a ler uma entrevista é o objetivo de saber o que essa pessoa pensa. Especialmente se for bem sucedida, queremos descobrir algum “segredo” do seu êxito ou atitudes semelhantes às nossas, para verificar se se estamos no caminho certo ou não. As entrevistas são outra boa opção para você variar um pouco os textos no seu site. Procure por pessoas que os seus leitores admirem e organize-se para fazer, pelo menos, uma por mês. Até em termos de produtividade é algo muito bom para si, pois apenas necessita de enviar as perguntas e esperar que outra pessoa responda, fazendo com que nesse dia pouco tenha de escrever.

5. TENTE PREVER O FUTURO

Quando era pequeno, adorava tentar perceber o que ia acontecer no mundo. Isso dava-me a sensação de estar um passo à frente relativamente aos meus amigos e no fundo, gostava de conseguir prever o que ia acontecer. Esta sensação de um passo à frente no tempo é adorava pela maioria das pessoas e pode usar isso a seu favor no seu blog. Tente criar o futuro imaginando o que vai acontecer. Quando escrevi o artigo sobre as 17 startups brasileiras que vale a pena conferir, analisei aquelas que penso terem condições de triunfarem num futuro próximo. Ninguém me dá certezas que isso vai acontecer, mas estou apenas a fazer uma previsão e os leitores gostam disso.

escrita criativa

6. FAÇA CONCURSOS

Todos gostamos de receber algo gratuitamente. O fato de não existirem custos entusiasma-nos e leva-nos a fazer um pequeno comentário ou a partilhar no Facebook, apenas para que possamos ter em casa aquele livro que temos curiosidade em ler. Podemos até nunca pegar nele, mas não gostamos de desperdiçar essa oportunidade. Já o fizemos na Escola Freelancer com o Poupar é Ganhar e com o Dinheirama, com um bom número de participações, mesmo sendo feitos no início do blog e com um número de leitores reduzido. E isso normalmente é aceite pelos sites, viste que os ebooks não acrescentam nenhum custo e o concurso até pode gerar mais vendas no futuro.

7. DEDIQUE-SE A UMA REDE SOCIAL

Quando publicamos algo dedicado apenas uma rede social, verificamos que a tendência para que esse texto se espalhe mais facilmente por essa rede é enorme. No artigo sobre a nova timeline do Facebook, verificamos que o aumento do número de “curtir” na página foi sempre superior aos retweets que recebemos. Mas apesar de aumentar o número de chances de ser viral na rede social que você explorar, existem pequenas excepções.

Por exemplo, no nosso texto sobre os 104 perfis que qualquer freelancer deve seguir, esperávamos uma aderência muito maior no Twitter do que no Facebook, o que acabou por não acontecer. Por isso, a conclusão que podemos retirar é que você irá aumentar as suas possibilidades nessa rede social, mas vão existir casos em que essa regra irá ser quebrada. Mas de qualquer forma o seu objetivo será cumprido: uma rede social irá gostar do seu artigo e espalhá-lo.

8. FALE SOBRE O QUE FAZ E COMO FAZ

Uma coisa que sempre me ensinaram é que não devemos guardar o modo como fazemos apenas só para nós. Devemos partilhá-lo com outras pessoas, pois poderemos sempre receber feedbacks que nos ajudem a evoluir, ainda mais, a nossa maneira de trabalhar. Se tem aquela mentalidade que ninguém deve saber o modo como você trabalha, lamento, mas o seu sucesso nunca será a longo prazo. Muitas vezes aqui partilhei a forma como trabalho e o modo como organizo a minha forma de escrever.

Não quero, com isso, dizer que a minha forma de produzir é a melhor. Serve melhor para mim, o que não significa que sirva para você. Mas isso é uma forma de outros leitores consigam tirar alguns hábitos e adaptá-los à forma de eles trabalharem. Com certeza os seus leitores também vão adorar isso, especialmente se for uma pessoa bem sucedida.

9. SEJA POLÊMICO

Nem sempre podemos ter pensamento positivo e elogiar tudo e todos no nosso blog. Por vezes temos de ser mesmo contraditórios, dar a nossa opinião e mostrar às pessoas o que elas não devem fazer. São situações raras aqui no site, mas há alguns meses critiquei as empresas de marketing de rede e é um tema que ainda hoje continua a receber bastante comentários. Por mais que as pessoas não gostem, essa foi a minha opinião e fundamentei-a. Hoje não mudaria uma linha ao que escrevi, pois essa é a minha visão pessoal. Por vezes é bom fugirmos àquela tendência do “mundo perfeito na internet”. Mas claro, faça-o fundamentando a sua opinião, pois caso contrário isso pode não ser muito positivo para o seu negócio.

10. JUNTE-SE A UMA CAUSA SOCIAL

Todos nós começamos o próprio negócio para conseguirmos ganhar dinheiro. Mesmo que amemos muito o que estamos a fazer e isso não estiver a ser rentável, não há amor que resista. Contudo, isso não implica que você tenha sempre que lucrar. Por vezes pode usar a sua rentabilidade para ajudar os outros. Torna-o uma pessoa melhor e dá-lhe maior credibilidade perante os seus leitores. O melhor exemplo que podemos encontrar disso mesmo foi a campanha realizada há alguns meses pelo Paulo Faustino, que angariou algumas dezenas de reais para as vítimas das cheias no Brasil, dando 50 centavos por cada comentário.

E VOCÊ, COMO VARIA OS POSTS DO SEU BLOG?

A nossa criatividade tem limites. Para isso, precisamos de pensar um pouco “out of the box”, pois caso contrário as nossas matérias acabam por se tornar demasiados repetitivas e com pouco interesse, ficando apenas com os leitores provenientes dos motores de busca e perdendo os visitantes constantes. Com o artigo de hoje, ficam aqui dez ideias para gerar novos conteúdos para o seu site sem que perca demasiado tempo a pesquisar.

Agora peço-lhe que, se souber mais algum género de textos, que partilhe com os outros leitores. E já agora, utiliza algum destes? Como têm sido os resultados?

Abraço

Luciano Larrossa
Escola Freelancer