Estratégias para gerir o seu trabalho de freelancer em part-time

Quando pensamos em iniciar a nossa carreira de freelancer, geralmente temos duas hipóteses: abandonar o emprego e arriscar tudo ou aos poucos ir preparando a negócio como freela enquanto trabalha em outro local a full-time. Sempre indiquei para os leitores do blog que a segunda opção seria a melhor. Não só pelo menor risco financeiro que envolve, mas também pela maior preparação que permite ao empreendedor. É que nem sempre esse negócio que você sonha ser o seu futuro é, literalmente, a melhor opção. Por vezes você pode pensar que tem força de vontade, capacidade de organização ou que tem “queda” para o negócio para iniciar um projeto, mas isso pode não corresponder à verdade.

Essa confusão acontece porque grande parte das pessoas jamais experimentou a sensação de ter algo seu e do trabalho que dá construir uma marca de destaque no mercado. Levar um negócio ao sucesso exige muito trabalho, dedicação e uma vontade constante de aprender. Em alguns casos, as pessoas são motivadas a começar algo apenas pela insatisfação do seu emprego actual. É certo que grandes ideias de negócio surgiram porque os seus criadores não estavam satisfeitas com a sua actual situação profissional. No entanto, essa mudança drástica deve ser medida com cuidado, para que os prejuízos causados por um negócio que não dê certo, sejam mínimos.

COMO COMEÇAR UM NEGÓCIO PART-TIME

O primeiro pensamento que deve ter em mente é que o fato de começar um projeto em part-time protege-o de vários problemas. Você continuará recebendo dinheiro do seu emprego full-time, sente menos pressão para conseguir clientes e tem mais tempo para amadurecer a sua ideia. O único ponto negativo é que irá obrigá-lo a trabalhar mais tempo do que o normal. Em vez de ficar vendo televisão ou passar um fim-de-semana sem fazer nada, você terá de utilizar esse seu tempo “morto” para fazer crescer a sua ideia.

Mas eu não considero esse trabalho extra como algo completamente negativo. Isto porque enquanto empresário, você terá sempre que saber lidar com o fato de não ter horário fixo ou de ter de trabalhar enquanto os outros estão descansando ao domingo. Isso faz parte da vida de qualquer pessoa que tenha um negócio próprio. Desta forma, e mesmo trabalhando a part-time, você ja estará tendo uma noção do que é necessário para triunfar no mercado.

LEIA O ARTIGO COMPLETO NO ESCOLA FREELANCER


Como trabalhar em casa de um modo mais produtivo

Um freelancer pode trabalhar em vários locais. Um café, uma biblioteca ou mesmo um cowork fazem parte das opções desta categoria de profissionais, que tem neste aspecto uma das grandes vantagens da sua profissão. Eu alguns textos aqui no site, sempre aconselhei os freelancers  a saírem de sua casa para irem trabalhar. Os benefícios são vários, mas principalmente porque impede aquela solidão habitual deste género de trabalho, o que pode ser algo bastante negativo a nível psicológico ao fim de alguns anos. Entre trabalhar em casa ou ir para uma biblioteca, geralmente escolho a segunda opção.

Contudo, também compreendo que os primeiros meses como freela sejam mais complicados a nível financeiro. Sair de casa, implica que muitas vezes tenha de gastar gasolina para se deslocar ou que faça uma refeição num restaurante. E isso a nível financeiro para quem está a começar esta profissão, pode ser uma despesa com algum peso no seu orçamento. Por isso, é normal que você opte, numa fase inicial, por trabalhar em casa.

Mas esta escolha, na maioria dos casos, leva a um problema: a queda de produtividade. Enquanto que numa biblioteca é apenas você e o seu computador, em casa você pode ter várias distracções, como a televisão ou filhos. Quantos mais fatores externos estiverem presentes, maior é a probabilidade de você perder o seu foco de atenção. Por isso, é necessário saber evitar tudo o que possa ser negativo e aproveitar os pontos positivos de trabalhar em casa.

QUAIS OS PONTOS POSITIVOS DE TRABALHAR EM CASA?

Como referi anteriormente, prefiro maioritariamente trabalhar fora de casa. Mas quem preferir este local para produzir, também pode retirar vários pontos positivos desta opção. Vejamos alguns deles:

  • Menos gastos: Trabalhar em casa pressupõe que você não tenha de se deslocar e que as refeições sejam feitas por si. Quem tem por hábito comer fora de casa, sabe o quanto pode estar poupando com esta atitude
  • Ganha tempo: Ter que ir a algum local, por mais perto que seja, exige tempo de deslocação. Em casa você já tem tudo à mão
  • Pode controlar o ambiente externo: É uma das dificuldades desta opção, mas se bem gerida, pode tornar-se numa vantagem enorme. Num café ou num cowork, alguém que fale muito alto pode se sentar ao seu lado, e com isso estragar a sua tarde de trabalho.
  • Maior disponibilidade para a família: Se bem gerida, esta também pode também ser outra vantagem. No Estados Unidos, tem ganho cada vez mais adesão o ensino doméstico, no qual pais ensinam os filhos em casa, substituindo o papel do professor. Um freelancer que se consiga organizar de forma correta, pode ter o ensino doméstico como opção
  • Mais tempo livre: Se gerir bem a sua rotina, em casa acaba por ficar com muito mais tempo livre para si e para outras tarefas
  • Maior foco: Sem ver pessoas a passar ou barulhos à sua volta, o foco no seu trabalho aumenta consideravelmente. É so você e o computador

Como pode ver, trabalhar em casa, também tem vários pontos positivos. Contudo, é necessário saber manter a produtividade no seu lar para que consiga aproveitar todas estas vantagens. E é aí que residem alguns dos erros dos freelancers. Isso acontece porque trabalhar em casa não é algo fácil. As tentações são muitas e isso torna-se complicado de gerir para pessoas que tenham pouca disciplina pessoal. Para ajudá-lo, vou lhe deixar algumas dicas do que deve fazer.

trabalhar em casa

1. TENTE CRIAR UMA ROTINA

Sei que o trabalho de freelancer não é algo constante. Uns dias os clientes aparecem de um modo repentino, enquanto no outro parece que se esqueceram de você. Por isso, ter uma rotina é algo bastante complicado. Mas você deve sempre tentar criar hábitos que o façam sentir mais seguro e motivado para o seu trabalho. Acorde em horários parecidos, faça refeições em “horários normais” ou tome banho sempre quando acorda.

Será que isto fará tanta diferença no seu dia? Em termos práticos não, mas fica mais fácil para você criar uma organização a nível mental. Quando você acorda, já tem mais ou menos a noção de como vai ser o seu dia? Ou é daqueles que não sabe o que fazer nas próximas horas? Ter este “mapa mental” é determinante para você conseguir criar rotinas de trabalho. Se tiver com dificuldades neste aspeto, aconselho-o a ler o nosso artigo sobre as 7 dicas para organizar o seu dia de forma eficiente.

2. MANTENHA A ORGANIZAÇÃO

Sabe aquelas casas de universitários que estão vivendo os primeiros meses sozinhos e que deixam tudo o que usam em qualquer lugar? Pois é, a verdade é que se não tiver cuidado, em poucos dias a sua casa ficará assim. Ter o mesmo local onde se vive como escritório facilita que gere muita confusão. Veja alguns dos princípios que deve seguir:

  • Tenha o que mais utiliza à mão
  • O que menos utiliza, retire do seu campo de visão e mantenha organizado
  • Tenha gavetas bem documentas e cada uma com a sua função
  • Guarde o máximo de coisas que puder no computador, evitando os montes de papéis
  • Livre-se de tudo o que seja utilizado por outras pessoas
  • Coloque o lixo perto do…lixo

Se você tem algum problema em manter a organização no seu ambiente de trabalho e quer saber um pouco mais sobre este tema, dê uma olhada nos nossos artigos sobre como manter a organização no ambiente de trabalho ou como organizar o seu ambiente de trabalho. Todos os pontos referidos acima são analisados de um modo mais profundo nestes artigos.

3. CUIDADO COM AS SUPERFÍCIES PLANAS

Quando chegamos em casa, o mais comum é deixarmos o casaco ou a mala em cima da mesa ou do sofá. Esta atitude contribui rapidamente para a sua desorganização. Por isso, tenha cuidado e sempre que deixar algo em casa, pense se esse objeto tem de estar necessariamente aí ou se pode ser colocado em outro lado. O meu conselho é que crie um local para deixar a sua roupa. Por outro lado, pondere também criar uma caixa do “deixa tudo”. Lá, poderão ficar as suas chaves ou celulares, que são os objetos que normalmente você mais facilmente deixa espalhados pela casa.

4. PENSE NO SEU AMBIENTE DE TRABALHO

Você, por acaso, já passou para pensar um pouco sobre o seu ambiente de trabalho? Ele é arejado? Tem luminosidade suficiente? Você pode não acreditar, mas todos estes pormenores podem afetar positiva ou negativamente a sua produtividade. Com mais luz e num ambiente de ar puro, com certeza se sentirá mais motivado e criativo para trabalhar. Uma simples janela aberta ou um quadro bem pintado podem fazer a diferença.

5. ALIMENTE-SE MELHOR

Ficar em casa, muitas vezes é sinónimo de comidas rápidas para não perder muito tempo a cozinhar. Este é um dos erros mais comuns de quem trabalha em casa. Sei que você pode não ter muito tempo para perder na cozinha ou que até nem se sente capaz para fazer uma comida fantástica. Mas lembre-se que a longo prazo irá pagar por isso. O trabalho de freelancer é muito sedentário, logo todo o cuidado que você possa ter com a sua alimentação será pouco.

Pense em quanto pode ser positivo para você, enquanto ser humano, aprender um pouco mais sobre cozinha ou sobre dieta. Não sabe sequer fazer arroz? Não há problema, na internet existe muita informação para você se tornar um melhor cozinheiro. Coloque isso como um dos seus objetivos para 2012 e pode ser que descubra um talento escondido!

6. FAÇA AS OUTRAS PESSOAS ENTENDEREM QUE VOCÊ NÃO DEVE SER INTERROMPIDO

Quando comecei a trabalhar em casa, os convites para beber café a meio da tarde ou me fazerem uma visita em casa aumentaram de um modo exponencial. Por isso, temos de ser nós enquanto profissionais, responsáveis por fazer entender as pessoas que se estamos o dia todo em casa, isso é o nosso local de trabalho. Temos que educar não só amigos mas também familiares, a respeitarem as horas que estamos a produzir. Isso é importante não só para si, mas também para que eles entendam os limites do seu tempo livre.

7. DEFINA UM LOCAL PARA TRABALHAR

Durante mais ou menos um mês fiquei procurando o melhor local para trabalhar. O sofá, a mesa da sala ou um pequeno escritório. Tudo foram soluções que tentei encontrar, buscando uma responda a esta pergunta: eu qual zona da casa eu aproveito mais o meu tempo? No meu caso, a varanda foi o local onde verifiquei que poderia ser mais produtivo. O sofá foi claramente o local a evitar.

Aconselho que tente encontrar qual o melhor local para si. Por mais que eu quisesse e que pudesse parecer excelente, o escritório não serviu para mim. O único motivo para isso era a falta de luminosidade, acabando por me deixar com menos energia do que quando trabalho na varando, por exemplo. O meu conselho é que procure em vários locais e tente verificar onde se adequa melhor. Faça estas perguntas a si mesmo:

  • Sou constantemente incomodado por outras pessoas?
  • A iluminação é suficiente?
  • Tenho acesso a todo o material que eu preciso de um modo rápido?
  • Tenho tomadas suficientes para colocar o computador ou o celular a carregar?
  • A cadeira em que eu me sento é confortável ou posso ficar com dores nas costas?
  • Consigo ter água e alguns alimentos logo à mão?
  • É um local animado ou é tudo cinzento e preto?
  • A temperatura é aceitável ou faz muito frio aqui?
  • A conexão à internet é rápida neste ponto da casa?

Todas estas questões ajudam-no mais facilmente a tomar a sua decisão. De nada lhe vale um local iluminado, se você passa oito horas do seu dia numa posição desconfortável.

8. MANTENHA A SIMPLICIDADE

Quando se fala em trabalhar em casa, uma das imagens que vem à cabeça das pessoas é a de uma secretária com muitos papéis e uma estante cheia de livros. Ao longo do tempo, o que tenho conseguido comprovar na minha rotina é que quanto menos coisas você tiver à sua frente, melhor. Geralmente, tenho apenas o computador, uma garrafa de água e o celular. Por vezes preciso mais do que isso? Sem dúvida, mas nesses instantes desloco-me para pegar o que necessito e quando terminar de utilizar, volto a colocar no lugar.

Você pode pensar que isso é uma perda de tempo e que seria muito mais fácil ter tudo à mão. O problema do “tudo à mão” é que com o passar do tempo, você deixa de saber onde está aquilo que você pretende. Torna-se demasiado fácil criar aquela montanha de livros ou deixar os papéis espalhados. Por isso, o tempo que demora pegando num objeto e deixando-o no lugar novamente, é bem inferior ao período que perde procurando aquela revista que está na sua montanha de papéis. “Tudo o que tirar do lugar, volte a colocar”. Uma regra ensinada pelas nossas mães e que faz milagres na produtividade de quem trabalha em casa.

9. PERCA DOIS MINUTOS POR DIA PARA DEIXAR TUDO NO LUGAR CERTO

Um dos hábitos que tem feito a diferença no meu dia-a-dia tem sido este. No final de cada jornada de trabalho, reservo dois minutos para arrumar tudo o que possa ter deixado fora do local. Aquele livro que ficou fora do local, a garrafa de água vazia ou aquele papel que foi usado. Ao dividir estas pequenas tarefas todos os dias, dificilmente a sua secretária vai ficar demasiado cheia.

tempo é dinheiro

PROBLEMAS COMUNS DE QUEM TRABALHA EM CASA

É certo que você pode fazer de tudo para manter o seu ambiente em casa organizado, mas existem outro género de pormenores que também podem prejudicar a sua produtividade. Estes são mais pessoais e estão mais relacionados com a sua disciplina pessoal. Por mais que não deixe objetos em cima da mesa ou que mantenha a sua secretária limpa, você necessita de adquirir certos princípios que podem fazer a diferença no seu dia. Vejamos alguns deles:

ORGANIZAÇÃO DO TEMPO

O ponto mais negativo quando você trabalha em casa é que facilmente você confunde o seu tempo pessoal com o do trabalho. Começa falando com amigos no MSN quando devia estar produzindo, mas depois não pode ficar com a sua família à noite porque tem trabalho atrasado. Esta compensação é bastante prejudicial para o freelancer. Isto significa que você tem as suas prioridades trocadas e não sabe diferenciar um período de trabalho com um de divertimento.

Uma das técnicas que o pode ajudar neste aspecto é ter um horário definido para sair. Diga para si mesmo que apartir das oito da noite irá desligar o seu computador, por exemplo. Se tiver trabalho por fazer, deixe para o dia seguinte. Se você não foi produtivo durante o dia, irá acumular tarefas, fazendo com que no dia seguinte fique sem tempo para conversas no MSN ou no Facebook. Esta pode ser uma das formas de o ajudar, mas o mais importante é mesmo a sua força de vontade para evitar este género de situações.

ACORDAR TARDE

Sei que existem pessoas que preferem trabalhar durante a noite, mas o meu conselho é que evitem esse género de situações. Compreendo que as interrupções sejam menores durante este período ou que não gostem de levantar cedo. Mas a nível pessoal, trabalhar durante a noite não é a melhor opção. Você perde completamente a vida social, não vê a luz do dia e ainda pode trazer problemas para a sua saúde. Aos poucos, vá tentando dia após dia, deitar-se mais cedo e acordar uma hora antes do seu horário habitual. Verá que a sua boa disposição e principalmente a sua produtividade irão subir exponencialmente. Mas acima de tudo, a sua saúde será preservada.

PERDE O CONTATO COM O MUNDO EXTERIOR

O ponto anterior está inteiramente relacionado com este. Se você tem tendência para acordar mais tarde, maior é a facilidade em perder o contato com o mundo exterior. Por mais que você ame o seu trabalho em casa, é importante manter o contato com as pessoas em seu redor. Por vezes, combine um café com os seus colegas, vá passear ou dê uma corrida até à praia. Como freelancer, você não necessita de viver o dia inteiro na frente do computador. Acima de tudo, você continua sendo um ser humano.

TELEVISÃO E GELADEIRA

Como disse anteriormente, trabalhar em casa significa que você tem mais distrações que o normal. A televisão e a geladeira são dois desses obstáculos. Aconselho que durante o trabalho, tenha a televisão desligada. O barulho de fundo pode funcionar como uma companhia para você, mas a verdade é que também funciona como um fator de desconcentração. Quanto à geladeira, um dos hábitos que adquiri foi pegar tudo o que preciso para comer numa das pausas que faço com a Técnica de Pomodoro.

POUCAS PAUSAS

Uma das formas de melhorar a organização o seu dia é fazer pequenas pausas. Este hábito é aconselhável para recarregar baterias e voltar com mais energia. Isto acontece porque o nosso cérebro não tem capacidade para ficar muitas horas concentrado na mesma tarefa. De que lhe vale trabalhar duas horas seguidas, se não consegue produzir no máximo das suas capacidades? Beba um café ou dê uma pequena vista de olhos no Facebook.

Trabalhar em casa não é tão fácil como parece. Muitos sites ou negócios adoram vender a ideia de que você ficará o dia inteiro no sofá e que o dinheiro aparece na sua conta. Este género de trabalho é bem mais difícil do que se possa imaginar e exige concentração, disciplina pessoal e muita força de vontade. Sem ela, torna-se muito fácil perder-se em horas a mais na cama ou a ver filmes. Siga algumas destas dicas, principalmente se está enfrentando os seus primeiros dias com o seu negócio próprio.

E você, que técnicas utiliza para trabalhar em casa? É mais difícil do que pensava?

Abraço

Abraço

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


Como combater o sedentarismo no seu trabalho de freelancer

Ficar na frente do computador o dia inteiro, faz parte da vida de qualquer freelancer. É muito fácil cair na tentação de ficarmos sentados horas consecutivas, sem que o nosso corpo seja obrigado a qualquer movimentação. Isso faz com que o sedentarismo comece a fazer parte da vida de um freelancer, sem que ele mesmo dê conta disso. Quando comecei a trabalhar em casa, tive bastante dificuldade durante os primeiros dias, até que conseguisse ser tão produtivo quanto era no meu antigo emprego. Foi uma batalha difícil (mais difícil do que pensava), mas aos poucos fui detentando alguns erros que estava cometendo. Um deles foi o sedentarismo. Tornou-se muito fácil esquecer que existia um mundo “lá fora” e o exercício era algo realmente importante na minha vida.

Quando escrevi o artigo sobre as 10 coisas que deve eliminar da sua vida para ser mais produtivo, referi rotinas que poderia eliminar para conseguir concluir o seu trabalho mais rapidamente. Mas a verdade é que também existem outros fatores que você pode acrescentar para garantir que as suas tarefas sejam realizadas. E fazer exercício é com certeza, um deles. Além de cuidar da sua saúde, permite que tenha maior disciplina pessoal e aumenta a sua criatividade. Se está a pensar em começar a fazer esporte regularmente para combater o sedentarismo, aconselho que dê uma leitura em alguns artigos da Escola Psicologia para que se sinta melhor preparado para esse desafio:

COMO POSSO COMEÇAR?

Existem claramente dois problemas para quem quer combater o sedentarismo: começar e manter. Se por um lado, muitas pessoas gostam de adiar esta mudança dizendo “vou começar amanhã”, outras até conseguem começar, mas têm dificuldade em ser constantes, acabando por desistir de fazer exercício ao fim de algumas semanas. Ao assumir este compromisso consigo, é importante que tenha na sua mente que esta é uma meta como outra qualquer, tal como conseguir mais fãs no Facebook ou escrever um texto criativo. Clientes ou blogues você pode ter muitos, mas corpo tem apenas um.

Para combater o sedentarismo, o primeiro passo é comprometer-se consigo mesmo. Lembra-se de ter-lhe dito para definir objetivos para 2012? Considere “combater o sedentarismo” como um deles. De seguida, vou lhe dar algumas dicas do que pode fazer para aumentar as suas probabilidades de ter sucesso nesta sua meta:

sedentarismo

COLOQUE UMA IMAGEM NO FUNDO DO AMBIENTE DE TRABALHO

O local para onde olha mais vezes durante o seu dia, é com certeza o fundo do ambiente de trabalho. Em vez de ter uma imagem sem qualquer significado, experimente inserir a imagem de um esportista ou da sua lista de objetivos. Esta é uma excelente forma do seu cérebro se lembrar constantemente daquilo que quer. Se quiser ideias, dê uma vista de olhos ao nosso artigo sobre os 16 wallpapers para manter a sua motivação no trabalho.

Para que entenda melhor, vou lhe dar um exemplo mais prático. Este ano coloquei como meta trocar de carro no final de 2012. Por isso, inseri uma imagem no fundo do ambiente de trabalho. Desta forma, cada vez que fico um pouco mais preguiçoso e começo a vaguear na internet, vejo aquela imagem e volto a motivar-me para chegar ao meu objetivo.

FAÇA UM PLANO DE TREINO

Tal como no trabalho de freelancer, durante a pratica de exercício físico é importante saber onde quer chegar. Quer correr durante uma hora? Ou pretende pedalar durante 10 Km’s consecutivos? Esta é também outra das formas de manter-se mais motivado. Ao saber onde quer chegar, ganhará algumas forças extra sair da cama e ir fazer algo para combater o seu sedentarismo. Se achar necessário, fale com algum profissional da área para que lhe consiga dar uma melhor orientação.

TENTE ENCONTRAR ALGUM PARCEIRO

Uma das maiores dificuldades quando começamos a combater o sedentarismo é que mais uma vez estamos a fazer uma tarefa..sozinhos. A vida de freela já é isolada o suficiente. Por isso quando for fazer exercício, considere fazer esta tarefa juntamente com um amigo. O tempo passa bem mais rápido e quando a preguiça chegar, um poderá ajudar o outro.

INSCREVA-SE NUMA ACADEMIA

Para quem corre na rua, torna-se mais fácil desistir porque não terá uma grande perda com isso, apenas o tempo que investiu até agora. Se estiver pagando uma mensalidade, a obrigação de fazer render o dinheiro que está gastando torna-se maior. Na sua cabeça, existe uma motivaçãoobrigatória para fazer exercício. Contudo, aconselho que tome esta atitude apenas em último caso, pois algumas pessoas não vão à academia mesmo que estejam pagando por isso..

ESCOLHA UMA HORA DO DIA PARA FAZER EXERCÍCIO

A tendência normal é acharmos que o exercício físico é algo que devemos fazer só quando o principal (o trabalho), terminar. Este pensamento habitualmente deixa a corrida ou o jogo de ténis como última atividade do dia. O que acaba acontecendo quando o trabalho aperta? Ficamos sem actividade física. Para evitar estas situações, experimente colocar esta sua meta para as primeiras horas do dia. Sei que durante o Inverno não é fácil sair da cama para dar aquela corrida de meia-hora, mas faça um esforço. Diga para si mesmo: “Basta calçar os ténis e ir para a rua”. Depois de estar fora de casa, torna-se quase impossível regressar à cama.

FAÇA INTERVALOS CONSTANTES

De quanto em quanto tempo você faz um intervalo para esticar as pernas? Saber responder a esta questão é essencial. Defina qual e o seu período máximo de trabalho consecutivo e depois disso, faça uma pequena pausa. Vá esticar as pernas, visite o Facebook ou beba um café. Aconselho isto porque o nosso cérebro tem uma capacidade de concentração limitada. Algumas pessoas aguentam apenas vinte minutos, outras chegam a uma hora. Mas depois disso, a sua capacidade de trabalho já não estará no máximo. Tente descobrir qual é o seu período máximo de concentração e depois disso descanse. A Técnica de Pomodoro pode dar-lhe uma excelente ajuda nesse aspeto.

COMECE E TERMINE BEM O DIA

Retire da sua cabeça aquela ideia pré-definida que você deve fazer exercício apenas durante um momento do dia. E que tal começar com uma corrida e terminar com uma aula de yoga? Esta é uma excelente de forma de facilitar a vida àquelas pessoas que gostam de trabalhar mais horas pela manhã e por isso não têm muito tempo para investir em exercício durante esse período.

FAÇA ALGO DIVERTIDO

Não gosta muito de correr? Então essa não deve ser uma opção para as suas atividades. Por mais que este género de exercício seja benéfico, se o fizer contrariado acabará por desistir mais tarde ou mais cedo. Tente imaginar um esporte que sempre quis fazer desde novo. Natação? Ténis? Futebol? Nunca é tarde demais para aprender.

E VOCÊ, O QUE FAZ PARA COMBATER O SEDENTARISMO?

Trabalhar como freela também faz bem para a saúde. O fato de você ter que se habituar a vários clientes ou a um número infinito de trabalhos, obriga-o a utilizar o máximo das suas capacidades mentais. Mas a nível físico, deixa um pouco a desejar. Mas cabe a si driblar esta dificuldades. Afinal, trabalhar como freelancer não é algo perfeito, mas cabe a si torná-lo o mais perfeito possível.

E você, costuma fazer atividade física? Como fez para enquadrar o exercício na sua rotina? Quantas vezes por semana faz esporte?

Abraço

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


10 coisas que pode eliminar da sua vida para melhorar a produtividade

Quando falamos em produtividade, a primeiro ideia que vem à cabeça da maioria das pessoas é fazer um maior número de tarefas num espaço de tempo mais reduzido. Nada de errado, mas a verdade é que esta palavra tem muito mais do que uma simples definição. O tema da produtividade é muito complexo, e por esse motivo muitas pessoas falham quando tentam ser mais eficazes enquanto estão a trabalhar. Podem saber o seu significado, mas dificilmente conseguem-nos dizer como melhorar a sua produtividade pessoal.

Existem várias formas de a conseguir melhorar. Pode utilizar softwares como o Rescue Time, técnicas como a de Pomodoro ou então seguir princípios como a Lei de Pareto. Enfim, não existe apenas uma forma de ser mais produtivo, mas sim vários princípios, que devem ser aplicados a cada pessoa. Por exemplo, eu poderei conseguir adaptar o meu dia-a-dia à Técnica de Pomodoro, mas você pode conseguir trabalhar melhor com os Zen Habits.

Um dos erros que você pode cometer quando pensa em melhorar a sua produtividade é agarrar num livro ou num método, e tentar reproduzi-lo no seu dia-a-dia de forma rígida. Esse foi um dos erros que cometi no início da minha carreira. Se um método me dizia para não abrir o email pela manhã, eu não o fazia, mesmo que o meu trabalho exigisse isso. Com o tempo, fui percebendo que as técnicas servem para nos ajudar, mas que também devem ser adaptadas à nossa rotina.

ELIMINAR É A MELHOR FORMA

É impressionante como a evolução do mundo tem nos levado a acreditar que necessitamos de ter muitos acessórios para sermos felizes ou para conseguirmos trabalhar. Na verdade, se experimentarmos eliminar muitas das coisas que nos distraem, conseguimos verificar que talvez nunca chegamos a precisar delas. Se pensarmos bem, os nossos pais e avós conseguiam viver com bem menos do que nós, sem deixarem de ser felizes.

Como disse anteriormente, a produtividade é algo muito complexo. Mas uma das formas de torná-la um pouco mais simples é eliminar tudo o que esteja a mais na sua vida. Ou seja, no seu dia-a-dia com certeza irão existir certos “ladrões de tempo”, que o estarão a fazer perder minutos preciosos sem que dê por isso. Hoje, vou lhe dar exemplos de dez fatores que podem estar a prejudicá-lo e que se você quiser ser mais produtivo, considere eliminá-los do seu dia-a-dia ou pelos reduzir as suas horas de utilização.

eliminar distrações

1. TELEVISÃO

Foi uma das pequenas mudanças que fiz na minha vida. Há cinco anos, deixei de ter televisão em casa. É claro que por vezes posso sentir falta, principalmente quando tenho visita em casa. Mas a verdade é que ficar sem televisão pode fazê-lo perder menos tempo com programas sem interesse ou com noticiários que apenas lhe dão noticias negativas e que o deixam mais desmotivado. Ainda por cima, podemos acompanhar na internet em vários sites os programas que mais desejamos.

Se está com problemas com a sua produtividade, considere deixar de ver televisão. Os primeiros dias parecem bastante estranhos, mas depois verá que passa a se acostumar com essa realidade. Se não quiser excluir por completo, reduza as suas horas por dia em frente ao ecrã.

2. ROUPAS

Ter muitas roupas, significa perder mais tempo a escolher o que vestir. O meu conselho é que faça uso da Lei de Pareto. Ou seja, veja os 20% das roupas que mais utiliza e faça uma boa acção com as restantes. Doe para África ou para sem-abrigo, por exemplo. O mundo atual levou-nos a ser mais consumistas, mas a verdade é que muitas das coisas que consumimos quase não usamos. Se quiser saber um pouco mais sobre o tema, aconselho que dê uma leitura neste artigo do blog Efetividade sobre organizar o guarda-roupa com um método científico.

3. COMIDA

Para quem vive sozinho, sabe que a tentação de ter refeições fora de casa é grande. Torna-se monótono cozinhar apenas para uma pessoa. Contudo, acabamos por perder demasiado tempo em filas ou deslocações para restaurantes, para não falar no dinheiro a mais que acabamos por gastar. Se quiser ser mais produtivo e perder menos tempo, organize-se em casa para fazer uma lista com as suas refeições para a semana. Assim, quando for ao supermercado já saberá o que comprar, evitando o desperdício de alimentos que nunca vai consumir.

4. GADGETS

Com o crescimento da Apple e principalmente dos gadgets, as pessoas parece que começaram a sentir a necessidade de comprarem todos os que existem no mercado. Têm Ipad, Iphones ou Nintendos. Mas a verdade, é que acabam não tendo tempo para utilizarem todos. Por outro lado, será que todos eles são assim tão úteis e há necessidade de adquiri-los? Até que ponto eles são essenciais para o seu trabalho de freelancer? Se está com problemas de produtividade, pondere ficar sem alguns desses gadgets que apenas adquiriu para experimentar.

5. COMPUTADOR

Se você trabalhar como freelancer, o computador será, sem dúvida, uma ferramenta de trabalho bastante útil. Por isso, dificilmente será possível removê-lo completamente da sua vida. Contudo, poderá sempre tentar diminuir o tempo que passa à frente dele.

Para que perceba melhor, vou lhe dar um exemplo. Quando comecei a trabalhar apenas em casa, tornou-se muito fácil perder horas durante a noite à frente do computador. Com isso, acabava por me deitar as três ou às quatro da manhã, fazendo com que acordasse mais tarde no dia seguinte e que perdesse completamente o horário habitual de uma pessoa com um emprego “normal”. Por isso, decidi que a partir de uma certa hora e a partir do momento que não tivesse mais trabalho para fazer, desligaria o computador e iria aproveitar o meu tempo para outras coisas. Passei a ler, a ir beber cafés com os amigos ou a fazer algum esporte.

Saber definir que o computador é uma ferramenta de trabalho e não apenas a sua vida, é algo bastante complicado. Quando dá por si, passa horas intermináveis na frente do laptop. Tente fugir a essa tentação. Escolha uma hora para sair do computador e ligue-o apenas no dia seguinte. Verá que estará muito mais concentrado e produtivo nas suas horas de trabalho.

6. CARRO

Andar de carro fá-lo chegar mais rápido a qualquer local. No entanto, acabamos por tornar tão banal a sua utilização, que começamos a utilizá-lo para distâncias curtas, que poderiam facilmente ser feitas a pé. Mas até que ponto andar mais sem o carro, pode melhorar a sua produtividade? Isso é possível porque o trabalho de freelancer é muito sedentário. Se aproveitar as curtas viagens que faz de carro, poderá exercitar o seu corpo, evitando doenças ou tempo a mais no ginásio.

7. CELULAR

O celular também é algo bastante útil para qualquer freelancer. Não poderemos viver sem ele, pois é uma forma dos nossos clientes entrarem em contato. Mas podemos reduzir a sua utilização. Aconselho a fazer isso quando estiver concentrado a escrever um bom texto ou a promover o seu trabalho. Este foco naquilo que está fazendo, ajuda-o a fazer as tarefas em menos tempo. Receber chamadas sem interesse profissional podem desconcentrá-lo e interromper aquilo que está fazendo.

8. MOBILIÁRIO

Ter mobiliário a mais em casa, significa ter mais locais para colocar os seus papéis. Isso gera maior desorganização, ficando sem saber onde guardar tudo o que necessita. Ter um ambiente de trabalho o mais simples possível, ajuda em muito a sua produtividade. Se estiver com dificuldades em organizar o seu escritório, aconselho que dê uma leitura do nosso artigo sobre as 8 dicas para organizar o ambiente de trabalho.

9. LEITURA

A leitura é uma excelente forma de renovar os conhecimentos, mas muitas vezes perdemo-nos em revistas ou livros que pouco interessam para a nossa vida profissional. Ser mais produtivo não é apenas sinónimo de trabalho, mas também em aproveitar de uma forma eficiente o tempo da sua vida. Se quiser aumentar os seus conhecimentos de um modo mais rápido, considere analisar tudo aquilo que lê e dedicar-se apenas àqueles livros ou revistas que realmente o ajudam a ser um freelancer de melhor qualidade. Por vezes, ser ignorante pode ajudá-lo a ser mais produtivo.

10. REDES SOCIAIS

Este é um dos temas mais falados aqui no blog, mas nunca é demais relembrar. Perder tempo no Facebook ou no Twitter é cada vez mais comum nos dias de hoje. É certo que as redes sociais são essenciais para o seu trabalho, quer seja para divulgar o seu trabalho bem como para interagir com os seus fãs. Eu próprio perco bastantes minutos do meu dia nestes sites. Contudo, é preciso ter bastante auto-controle para gerir bem o tempo que investe. Defina as horas que vai visitar as redes sociais, quanto tempo vai despender lá e o que vai fazer. Seja produtivo até nestes sites!

Para quem trabalha à frente do computador o dia inteiro, pode facilmente perder-se e começar a desperdiçar o seu tempo em coisas pouco úteis. Estes dez pontos são, regra geral, os que roubam mais tempo no nosso dia-a-dia. Por isso, pondere reduzi-los ao máximo. Alguns poderá eliminar completamente, outros apenas reduzir. O mais importante é adaptar à sua realidade. Lembre-se: nenhum técnica de produtividade deve ser aplicada na íntegra, mas sim adaptada à sua rotina.

Abraço e bom trabalho

Luciano Larrossa
Escola Freelancer


O que fazer quando não se consegue trabalhar na sua área?

Quando somos mais novos, colocamos um objetivo em mente. Queremos ser médicos, jornalistas ou astronautas. Essa imagem de uma profissão dos nossos sonhos começa a ficar formada na nossa cabeça. Imaginamos um futuro perfeito, com uma casa, carro e uma família para aproveitarmos o final de semana. Mas com a chegada da vida adulta, vemos que essa noção da realidade, por vezes, não acontece como sonhamos. O aumento de pessoas licenciadas, tanto em Portugal como no Brasil, tem levado vários trabalhadores a pensar se aquele curso que tiraram na faculdade ou as horas que tanto estudaram servirão para alguma coisa.

Essa dúvida é perfeitamente normal que aconteça, principalmente quando os jovens saem da universidade e voltam para casa dos pais. É um momento certamente complicado, em que a mudança do dia-a-dia acontece de uma forma bastante radical. O stress das provas ou dos momentos divertidos com os colegas, são trocados por horas em casa e uma convivência com os pais a que muitos ex-estudantes já não estão habituados. Esta situação por levar os jovens a ficarem desmotivados, provocando em alguns casos, sintomas de depressão.

Neste grupo podemos dizer que também se enquadram todos os freelancers. Deixar o emprego e arriscar numa área profissional que adoram, quer seja ela Web Design ou fotografia, pode muitas vezes ser uma opção pouco viável, tanto em termos de oportunidade de trabalho como em rendimentos. E aí uma pergunta começa a surgir: O que vou fazer se não conseguir trabalhar na minha área?

mudar

MUDAR OU NÃO MUDAR DE ÁREA?

Quem procura trabalho numa área que sempre estudou, tem toda a legitimidade de o fazer. Estudou vários anos para isso, gastou dinheiro e, a princípio, é algo que adora fazer. Todos estes motivos levam as pessoas a acreditarem que devem lutar para conseguirem trabalhar nessa área. Mas até quando? Ou seja, qual será o momento certo para definitivamente esquecermos a ideia de trabalhar nesta área e pensar a arriscarmos outra completamente diferente? Não existe um período certo, tendo sempre o próprio trabalhador a “sentir” esse momento. Contudo, algumas pistas podem ajudá-lo a tomar essa decisão. Mas para que perceba de um modo mais claro o que estou a falar, aconselho que perca alguns minutos a dar uma vista de olhos na palestra realizada pelo Miguel Gonçalves, na qual ele aborda este tema.

ANALISE O MERCADO

O primeiro ponto que deve analisar quando está indeciso para trocar de área é verificar o mercado. Está em crescimento ou estagnado? Há algo que você possa fazer de diferente ou a internet já está substituindo funções que eram feitas por seres humanos? Imagine que trabalha comojornalista. Devido à internet, os jornais têm vendido cada vez menos, tornando mais difícil encontrar um trabalho na área.

Um dos caminhos que um recém-formado pode procurar é habituar-se a novos meios de trabalho, adaptando os seus conhecimentos de escrita, edição de som ou audio, para a internet. Com esta atitude, estaria a adaptar os seus conhecimentos a novos meios, fazendo com que o tempo investido a estudar não fosse em vão.

Mas esta mudança pode ser aplicada em várias áreas. Outro bom exemplo foi a opção tomada pelo Miguel Lucas, da Escola Psicologia, para dar consultas on-line através do Skype. O que ele fez foi adaptar os seus conhecimentos a uma nova área, criando uma ideia de negócio inovadora.

RECONHEÇA A SUA SITUAÇÃO

Se está com dificuldades em conseguir encontrar trabalho na sua área, é importante rapidamente reconhecer a sua situação. Nem todos nasceram para triunfar rapidamente. Por vezes, demora-se muito tempo a conseguir os primeiros clientes. Mas ao reconhecer a sua situação, irá criar uma vontade de maior de reverter essa situação. Esse foi mesmo um dos conselhos que dei no artigo sobre o tema “falhar pode ser um camino para o sucesso?“. Estar numa situação difícil e não o reconhecer é a pior mentira que pode fazer a você mesmo. Seja sincero, mas vá à luta.

NÃO CULPE OS OUTROS

Outra das piores mentiras que pode fazer a você mesmo é colocar a culpa em alguém. “Ai o Governo não me dá emprego” ou “Em outro País seríamos ajudados!”, são frases que se escutam facilmente, principalmente em tempos de crise como o que está a acontecer em Portugal. Mas será que o Governo tem mesmo obrigação de lhe dar trabalho?. Será que o mercado é o culpado por você não conseguir clientes como freelancer?

É certo que tempos difíceis podem tornar mais trabalhosa a sua tentativa de ganhar dinheiro. Contudo, cabe aos trabalhadores adaptarem-se ao mundo que os rodeio em vez de ficar constantemente a reclamar dele. Tirar uma licenciatura ou ter algumas horas de um curso, transmitem apenas o conhecimento para poder triunfar numa área. Depois, caberá a você utilizar da forma mais correta tudo o que aprendeu. E com o aumento do número de pessoas qualificadas, conseguir trabalho tornou-se uma luta cada vez mais feroz.

ENTENDA O QUE OS CLIENTES QUEREM

Quando criar o seu currículo ou portfólio, tente ir de encontro ao que ao que as pessoas que vão contratar os seus serviços pretendem. Os clientes não querem saber se você tem muitos conhecimentos em photoshop ou em Illustrator. O que eles pretendem é saber como você vai utilizar a sua sabedoria para o ajudar. Os clientes estão nem aí para onde você estudou ou com quem você estudou. Eles apenas procuram alguém para fazer o trabalho que eles pretendem com a melhor qualidade possível.

FAÇA AS PERGUNTAS CORRETAS

Como o Miguel Gonçalves explicou no video e muito bem, muitas vezes fazemos as perguntas erradas. Ficam aqui alguns exemplos:

  • Porque ninguém responde às minhas ofertas?
  • Porque ninguém procura o que eu faço?
  • Porque só o meu colega do lado, com os mesmos conhecimentos que eu, tem sucesso e eu não?
  • Porque ninguém me ajuda a melhorar os conhecimentos e produtividade?

Questões como estas, devem rapidamente ser mudadas. Esta mentalidade está, certamente, a travar a sua evolução a nível profissional. Tente alterar estas perguntas para algo do género:

  • Como faço para as pessoas responderem às minhas ofertas?
  • Como posso dar a conhecer o meu trabalho, de forma que as pessoas prestam atenção ao que faço?
  • O que o meu colega do lado fez para ter sucesso que eu não fiz?
  • O que posso fazer para melhorar os meus conhecimentos e fazer com que as pessoas me ajudem?

Mudar a forma como você se questiona é uma excelente forma de ficar mais perto da solução e afastar o problema da sua vida. Alterar o modo como fala consigo mesmo pode alterar a sua forma de ver as coisas.

CONSIDERE MUDAR DE ÁREA

Por vezes, fazemos de tudo que está ao nosso alcance, mas a verdade é que as oportunidade acabam por não surgir. O momento pode não ser o correto, essa pode não ser mesmo a sua vocação ou simplesmente não tivemos sorte. Acontece a todos. Empresários de renome e empresas conceituadas também tentaram o lançamento de vários produtos e nem todos deram resultado. Vejamos o exemplo do Google. Esta empresa tem 107 serviços! Todos deram certo? Óbvio que não. O Google Buzz foi o último exemplo disso mesmo.

Contudo, a empresa continua tentando conquistar novos mercados. Está nas redes sociais, no email ou nos motores de busca. Se você não conseguiu atingir o sucesso na sua área, talvez é porque essa não é mesmo a sua área! Já pensou nisso? Compreendo que mudar possa ser um choque muito grande, especialmente quando já se tem uma idade mais avançada.

Por isso, se  já tentou tudo o que podia e está há muitos anos nesta situação, pondere trocar de área. No video, o Miguel Gonçalves dá o exemplo da uma senhora que estava há sete anos à procura de emprego na sua área. Sete anos é, realmente, um período de tempo demasiado longo para que se esteja parado à procura de uma oportunidade.

E você, conseguiu logo trabalho na sua área? Teve que mudar para conseguir clientes? Conte-nos como fez e partilhe com os outros leitores.

Abraço e bom 2012!

Luciano Larrossa
Escola Freelancer